RS, raizes da violência e sangue nas mãos

Raizes da violência, o grito dos inocentes

rs em alerta
O #52 posts não foge do assunto que mais chocou a sociedade gaúcha nas últimas semanas : o assassinato dos seis taxistas (três em Santana do Livramento e três Porto Alegre). A prisão do suspeito e que assumiu as mortes, reacende a questão, até onde a raizes da violência irão nos atingir? Quando sangue será derramado até entendermos o que aconteceu: a sociedade está doente ou foi caso isolado?
As palavras frias do assassino ainda ressoam como "facas afiadas" no coração de todos os gaúchos:

"— Ele contou que matava como quem diz que fumou um cigarro — espantou-se o delegado regional Eduardo Sant´Anna Finn."

Escrevi no meu outro blog ( o Câncer e Saúde) um artigo sobre as Raízes da Violência, divididos em duas partes. Ele foi baseado no trabalho do médidco psiquiatra Geraldo Rosito, para a I Jornada Brasileira de Psiquiatria Forense Raízes Neuropsicobiológicas dos Afetos: Sentimentos Amorosos e Agressividade.

Retiro um pequeno trecho para ilustrar esta minha minha abordagem:

"... Não existe mãe-cuidadora perfeita, mas é essencial que seja suficientemente boa.

Quando a função materna é adequada, ocorre a sensibilidade e a continência, das quais vão se originar o gesto espontâneo, a criatividade e as tendências amorosas.

Outra função essencial é saber frustrar adequadamente:

Frustrações escassas não desenvolvem a noção de limites e, quando exageradas, injustas e/ou incoerentes, provocam o predomínio do ódio e da violência sobre os sentimentos amorosos.

Os filhos nos olham pelas costas, ou seja, mais importante do que palavras é a atitude.

Modelos de identificação, por exemplo, amorosos encontrarão eco na criança que os reproduzirá. Pela via oposta, agressivos e violentos terão ressonância na estrutura da personalidade em formação....."

E o mesmo delegado resume o caso: " — Se eu inventasse essa história, pareceria um absurdo. Mas, às vezes, a realidade supera a ficção — , ainda tentando reconstituir as cenas que faltam neste enredo de horror. "

5 comentários:


  1. É isto mesmo Geraldo. Eu tb penso que a confiança mútua é um forte vínculo de afeto entre mãe e filho ( e de toda a família!) e tem um enorme efeito sobre a personalidade de uma criança.
    Acho tb q 'percepção' das mães deve ser chave para conhecer os ‘gostos/ e desgostos’ e, posteriormente, incentivar a criança para os ‘gostos’.
    Obrigada pelo link =)
    abraços e boa noite .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eninha,

      Quando mais eu "estudo" a alma humana, mais eu descubro sua escuridão... às vezes dá medo.. mas desistir não vou, afinal onde há luz há esperança.. e é para lá que eu vou...

      Abraço e obrigado pelo comentário

      Geraldo

      Excluir
  2. Estimado amigo, é tanto odio neste mundo, inveja e maior ainda: a loucura. As vezes penso que crimes acontecem por loucura porque nada justifica matar.

    Estas ultimas semanas estão muito complicadas neste planeta.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sissy,

      Neste mundo turbulento e de trevas, as justificativas estão longe de explicar os fatos.. mas vamos frente, em busca da luz e esclarecimento para toda esta barbarie...

      Abraço e obrigado pelo comentário

      Excluir
  3. Geraldo,

    Hoje fui num shopping perto de casa, se chama Downtown. Ao descer do onibus, antes de subir as escadas, tudo em flash: a esquerda um carro de policia, a frente um segurança do shopping vindo em nossa direção e a esquerda um rapaz com o rosto todo retalhado, mas não sangrava - passava a camisa no rosto. Aquilo era horrivel e assustador. Ele parecia calmo, mas como saber quem era ou o que aconteceu. Fiquei pensando se fosse no rosto de uma moça, que tristeza!

    Beijos

    ResponderExcluir

@pharispoa