Cultura Pomerana

Recebi uma solicitação em comentário deste artigo No Dia Internacional da Mulher: MULHERES POMERANAS  para falar sobre a cultura pomerana. Geralmente falo de assuntos relacionados a Alemanha no blog Familia Voltz , hoje vamos escrever por aqui mesmo. A Pomerânia é uma região que ainda não tinha sido devidamente descrita por aqui.

A Pomerânia (em polonês Pomorze; em alemão Pommern; em latim Pomerania ou Pomorania; em pomerano, Pommerland) é uma região histórica e geográfica situada no norte da Polônia e da Alemanha na costa sul do Mar Báltico, entre as duas margens dos rios Vístula e Odra, atingindo, a oeste, o rio Recknitz.

A história da região é rica e variada, por ter permanecido sob o domínio de diferentes potências ao longo dos séculos. De 1186 a 1806 esteve sob o domínio do Sacro Império Romano-Germânico. Com a dissolução deste império em 1806 por Napoleão Bonaparte, a Pomerânia tornou-se parte da Prússia e depois da Alemanha. A partir de então mais de 330 mil pomeranos migraram para os Estados Unidos e muitos encontraram refúgio no Brasil.

Pomeranos-brasileiros

Muitos pomeranos emigraram para o Brasil durante o século 19, e hoje seus descendentes são parcela considerável em Santa Catarina (cerca de 300 mil em 2006) em especial na cidade de Pomerode, onde lutam para preservar sua cultura e a língua pomerana.

No estado do Espírito Santo estima-se uma população de 120 mil descendentes de pomeranos, a maior concentração depois da de Santa Catarina, descendentes dos 2.000 imigrantes que lá chegaram fim do século XIX, é até hoje a região que mais preserva traços culturuais deste povo no Brasil.

Os municípios de Santa Maria de Jetibá e Vila Pavão são reconhecidos como os municípios que mais preservaram a cultura pomerana e, além destes municípios capixabas, outro grande ponto desta cultura e que também a mantém mas precisamente, é o município de Laranja da Terra, mas também em escala menor a cultura e presente em municípios como Afonso Cláudio e Domingos Martins ainda mantém uma considerável quantidade de descendentes, muitos dos quais ainda conservam a língua pomerana como mãe.

A língua pomerana de raiz saxã (o Pommersch) é a principal língua corrente em vários dos distritos das cidades acima citadas, a região serrana do Espírito Santo atrai muitos linguistas para estudo da linguagem pomerana.

No Rio Grande do Sul os imigrantes de origem pomerana também foram numerosos na região de Pelotas,Canguçu, Arroio do Padre, Agudo,Candelária e São Lourenço do Sul, principalmente na região das antigas Colônia São Lourenço e Colônia Santo Ângelo. Fizeram parte também da fundação da comunidade de Esquina Emanuel, no município de Roque Gonzales

Casamento pomerano

Entre as diversas tradições dos antepassados, uma das que mais chamam atenção é o casamento pomerano, pois trata-se de um acontecimento social marcante que reúne o povo numa alegria de três dias de festa.

Um dos primeiros preparativos do casamento tradicional, os convites, não são usados no casamento pomerano: entre os descendentes de pomeranos nunca foi costume mandar convites impressos, o convite é feito em forma de versos.

Como? Para fazer o convite, o “convidador” de casamento, que em pomerano é hochtijsbirer, geralmente o irmão caçula da noiva, convida, com três semanas de antecedência, servindo-se de meios de locomoção própria, antigamente cavalo ou bicicleta que foram substituídos, nos dias de hoje, pela motocicleta. O cuidado em ornamentar com flores e ramos verdes os meios de transportes dos noivos e de suas famílias ainda se mantém presente, assim como o cuidado com as vestes dos noivos e padrinhos, enfeitadas com fitas e ramos.

Na véspera do casamento é realizada, na casa dos pais da noiva, a cerimônia do “Quebra Louça”, uma garantia para felicidade do casal. A cerimônia religiosa segue os ritos da religião Luterana. Depois da cerimônia, todos dirigem-se para a casa dos pais da noiva, onde é realizada a festa.

As noivas de preto

Foto: Lajeado/Cristiane Luersen
Antigamente a noiva era arrumada por sua mãe e trajava vestido preto de cetim com uma faixa verde, igualmente de cetim, na altura da cintura, e uma coroa verde, tecida de murta, alecrim ou de cipreste, adornada com flores de laranjeira. No Espírito Santo este costume perdurou até 1940.

A explicação para o uso do vestido preto teve várias versões errôneas, quando ele simboliza morte social (separação da noiva de sua família, pois o casal mora nas terras dos pais do noivo, então quem se desloca de sua rede de parentesco é a mulher).

Abaixo um video com a pronuncia do Plattdeutsch (linguagem falada pelos pomeranos)

.

 Referencias :

Pomerânia - Wikipédia


Pomeranos - Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário