Feira do Livro e Pasárgada

A Praça da Alfandega (nome popular para a Praça Senador Florêncio) no centro de Porto Alegre, capital de todos os gauchos, passou por uma grande reforma, com recursos do projeto Monumenta. É lá, que no final de outubro, até a segunda semana de novembro, que se  promove uma das maiores (e mais tradicionais) Feiras do Livro do Brasil.

E passando pela praça já vi a construção das estruturas metálicas que sustentarão a "cidade do livro" (foto ao lado). 

E lembrando hoje, no dia da morte de Manuel Bandeira (1968), relembro um trecho dos poemas deste imortal reperesentante do nosso mundo literário. 


 

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca da Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive [...]

É o próprio Bandeira quem explica:

“Vou-me embora pra Pasárgada” foi o poema de mais longa gestação em toda minha obra. Vi pela primeira vez esse nome de Pasárgada quando tinha os meus dezesseis anos e foi num autor grego. [...] Esse nome de Pasárgada, que significa “campo dos persas”, suscitou na minha imaginação uma paisagem fabulosa, um país de delícias [...]. Mais de vinte anos depois, quando eu morava só na minha casa da Rua do Curvelo, num momento de fundo desânimo, da mais aguda doença, saltou-me de súbito do subconsciente esse grito estapafúrdio: “Vou-me embora pra Pasárgada!”. Senti na redondilha a primeira célula de um poema [...].

(com informações do Brasil Escola

Share on Google Plus

About Geraldo V Laps

         
Adm. de Empresas, Gaúcho, Parlamentarista e defensor do Voto Distrital Puro.

1 comentários:

  1. Eu gosto de ir em feiras de livros ao ar livre. Eu me sinto mais confortavel. Algumas vezes tem otimas amostras, quando bem organizadas.

    Bjs

    ResponderExcluir