Rivalidades nem sempre saudaveis

A ronda do chimangoImage by Eduardo Amorim via Flickr
Semana passada, a terra pampa tremeu, nem a escala Richter pode avaliar o tremor que se fez ressoar por todos os rincões da República Piratini. Na manhã de terça, chimangos e maragatos, gremistas e colorados aguardavam a semifinal do Mundial Interclubes de Futebol, a metade vermelha, eufórica com a possibilidade de vencer o oponente africano, de olho na final. A metade azul, apreensiva com a possibilidade dos colorados conseguirem um segundo título mundial.

Na tarde de terça, logo após o jogo, que registrou o fato inédito de o Inter ser o primeiro clube sul-americano a ficar fora de uma final, a metade azul fez sua parte, exercitando sua capacidade de fazer as devidas gozações aos rivais. Acontece que, em nossas terras, estes eventos nunca são aceitos de maneira pacifica e ordeira. 

Foi o começo de xingamentos, agressões verbais, mensagens com teor violenta e a mostra que aqui, muitos não aceitam provocações de seus rivais. 

Quem me conhece sabe que tenho posições claras, sou gremista, parlamentarista e defensor do voto distrital puro. Mas em momento algum, deixo que isto torne-se um "cavalo de batalha" e invista contra o "inimigo", tentando o subjugar pela força ou escárnio.

Afinal, tenho amigos e amigas, gremistas e colorados, chimangos e maragatos e de todas as raças e credos. Sou pelo cultivo da amizade e respeito, deixando que as galhofas contra os rivais seja feito em clima cordial, mas sem agressões.

Comentários