Os arranjos politicos nos casamentos de chimangos e maragatos

O Rio Grande do Sul tem fama de ser o Estado onde, da política ao futebol, os grupos estabelecem com clareza a linha divisória que os separam. 

Gaúchos gostam de lembrar que sempre tomam posição e, para reforçar a tese, enumeram exemplos: foram farroupilhas ou imperiais, chimangos ou maragatos; são Internacional ou Grêmio, de direita ou de esquerda, petistas ou antipetistas. 

Hoje, vinte e quatro de agosto é dia dos 56 anos da morte de Getulio Vargas, então vamos contar uma história curiosa sobre um arranjo político no casamento entre Getúlio Dorneles Vargas e Darcy Lima Sarmanho. 

Particolare del monumento a Getulio Vargas, Sã...Image via Wikipedia Getúlio casou-se, em 1911, com Darcy Lima Sarmanho, com quem teve cinco filhos: Lutero Vargas, Getulinho, que morreu cedo, Alzira Vargas, Jandira e Manuel Sarmanho Vargas, (o Maneco). Este casamento foi um ato de conciliação, pois as famílias dos noivos eram apoiadoras de partidos políticos rivais na Revolução Federalista de 1893. A família de Darcy Sarmanho era maragato e a de Getúlio chimango.
Share on Google Plus

About Geraldo V Laps

         
Adm. de Empresas, Gaúcho, Parlamentarista e defensor do Voto Distrital Puro.

0 comentários:

Postar um comentário