O amor segundo poema de Alvares de Azevedo


Esta semana, aqui no blog, foi dedicado a louvação do amor, hoje é dia de fazer a recitação dele em versos, no belo poema de Alvares de Azevedo (vídeo abaixo), extraido da Lira do Vinte Anos.

AMOR

Quand la mort est si belle,
Il est doux de mourir.
V. HUGO

Amemos! quero de amor
Viver no teu coração!
Sofrer e amar essa dor
Que desmaia de paixão!
Na tu’alma, em teus encantos
E na tua palidez
E nos teus ardentes prantos
Suspirar de languidez!

Quero em teus lábios beber
Os teus amores do céu!
Quero em teu seio morrer
No enlevo do seio teu!
Quero viver d’esperança!
Quero tremer e sentir!
Na tua cheirosa trança
Quero sonhar e dormir!

Vem, anjo, minha donzela,
Minh’alma, meu coração...
Que noite! que noite bela!
Como é doce a viração!
E entre os suspiros do vento,
Da noite ao mole frescor,
Quero viver um momento,
Morrer contigo de amor!

2 comentários:

  1. Amigo Geraldo, esse é um dos lindos poemas de Alvares de Azevedo, e o vídeo com a suave melodia deixou o poema ainda mais belo. Parabéns pela belíssima postagem, pois falar do amor é algo para pessoas sensíveis, e muitos acham que nós, homens, não podemos exaltar o amor nas formas mais poéticas. Abraços. Roniel.

    ResponderExcluir
  2. Geraldo

    Parabens pelo vídeo e pelo poema apresentado
    Belíssimas palavras de Alvares de Azevedo.
    Um forte abraço
    Mad

    ResponderExcluir