O turismo e bonitas áreas verdes perto da região metropolitana

A capital de todos os gaúchos, Porto Alegre, é emoldurada por um anel de morros graníticos com 730 milhões de anos,  esta a região de planície onde está o grande centro urbano da cidade, ocupa 65% de seu território. Os morros fazem parte de uma plataforma originada de rochas que se fundiram sob pressão e calor intensos no interior da terra e depois emergiram, elevando-se à altura de montanhas.

Hoje, desbastadas e fendidas pela erosão de milhões de anos, formam pequenos morros de cume arredondados que dominam a paisagem da capital. O Morro Santana, com 311 m de altura, é o ponto mais alto, com matas e campos nativos, cachoeiras, banhados, charcos, lagos, córregos e cascatas.

Rolante
Cascata das Andorinhas - Foto: Stephany Sander
E bem perto dali, a 102 km,  via RS-020, existe uma bela opção de área verde com rios, morros e quedas d’água, onde localizam-se as cidades de Rolante e Riozinho. Segundo a Secretaria Estadual de Turismo, a região é uma das mais procuradas por quem busca turismo ecológico no RS, por ser área de transição morfológica entre os Campos de Cima da Serra e a Planície Litorânea. 

“Trata-se de uma zona de relevo acidentado, que garante paisagens diversificadas e lindas cascatas, com águas cristalinas”, afirma o biólogo Ricardo Teixeira, formado pela Unisinos, que coordena visitas guiadas de grupos de estudantes e turistas no verão. Ainda conforme ele, a formação rochosa e a grande quantidade de cursos d’água oferecerem belas paisagens, que somam mais de 30 opções para visitação.

A mais conhecida é a Cascata do Chuvisqueiro. Situada na localidade da Mascarada, banhada pelo rio Rolante, a queda d’água tem mais de 75 metros de altura, e é muito procurada por praticantes de rapel. O nome de Chuvisqueiro é dado pois a força da água provoca chuvisco e acaba molhando mesmo quem admira de longe a paisagem. 

Outro ponto muito visitado é a Cascata das Andorinhas, que recebeu esse nome em função da presença de muitas aves desta espécie no local. A cascata fica a cerca de 20 quilômetros do centro de Rolante e se diferencia das demais pelo formato: uma queda d’água de 15 metros protegida por uma espécie de caverna. 

Entre as quedas d’água também famosas de Rolante estão a Três Quedas, na localidade de Boa Esperança, e a Cascata da Colônia Monge, na região de mesmo nome. Teixeira lembra que a região entre Rolante e Riozinho tem a terceira área intacta de Mata Atlântica do país, segundo estudos recentes.


Share on Google Plus

About Geraldo V Laps

         
Adm. de Empresas, Gaúcho, Parlamentarista e defensor do Voto Distrital Puro.

0 comentários:

Postar um comentário