Cobertor curto em operações de policiamento






Todo ano acontece a mesma coisa, moradores de diversas cidades do interior e da capital do RS dirigem-se para a praia do litoral norte (mais procurado) e litoral sul. É hora de abrir as casas e verificar o estado geral, olhando para ver se não houve danos devidos a arrombamentos ou eventos climáticos.

Como a migração é grande, necessário se faz que faz uma realocação de policiamento para as cidades do litoral (policiamento ostensivo e salva vidas), a politica é igual: retira-se policiamento das cidades para cobrir a demanda.

Este ano a BM encaminha o planejamento da Operação Golfinho, que todos os anos remaneja mais de 2 mil PMs para encorpar a patrulhamento ostensivo no Litoral, só na capital, 200 policiais que faziam parte do reforço de policiamento da capital, devido a Copa do Mundo voltarão para seus batalhões de origem, e para serem realocado novamente, dependendo da necessidade.

O efetivo tem um deficit de 40% em seus quadro e representa mais um desafio para o novo governador eleito, José Ivo Sartori.

É a velha politica do cobertor curto, tapa em um lugar para descobrir em outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@pharispoa