Ufanismo gaucho ataca de novo




Conhece o conceito da roda d'agua ? Somente a força d'agua para a girar as suas pás e gerar energia mecânica que, a posterior, gera energia elétrica. Pois na província de São Pedro do Rio Grande do Sul, a energia para tal já relatei no artigo Ufanismo Gaúcho , onde a cultura da opinião única é defendida com unhas e dentes. 

Davi Coimbra, brilhante colunista do jornal Zero Hora, escreve em sua coluna no sábado, Eu tenho direito : "..O brasileiro é o povo do direito estendido e do dever nenhum.

Eu quero uma vida melhor, eu quero um salário maior, eu quero pagar menos impostos, eu quero andar de bicicleta, eu quero aquela mulher. Querer é poder. Lute pelo seu sonho. Lute por seus direitos. Seja feliz!

Os pais dos brasileirinhos repetem sempre: “Eu quero que meu filho seja feliz. O importante é que ele seja feliz”. Kant não concordaria. Kant dizia que o importante não é ser feliz, é merecer a felicidade. Na falta de um Kant tropical, como o brasileiro vai compreender que a extensão dos seus direitos até o rompimento com seus deveres é, em si, um mal? A lei. O Estado tem que fazer cumprir a lei. E tem que agir estritamente dentro da lei. Um Estado atento, vigilante, mas justo. Um Estado que protege os direitos e faz cumprir os deveres. Simples de entender. Mas, como se vê, complicado de fazer..."

Qual o fato que me levo a este pensamento?? A reinauguração do estádio Beira-Rio, neste fim de semana, levantou uma energia poderosa e ufanista: "Nosso estádio é melhor que o "deles" " .

O ufanista não visualiza que estádio  qual é melhor ou não, Porto Alegre conta com dois estádios modernos, dois times de futebol que já conquistaram o mundo e America (duas vezes). Mas, o dialogo radical é idiota, o radicalismo é um desvio de personalidade. Porque, ao radical, pouco importa no que ele acredita. O que importa é ele acreditar radicalmente em alguma coisa. O radicalismo é apenas um meio. Um instrumento em que ele exercita o seu egoísmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário