Clássicos da Música - Valsa Coppelia



Léo Delibes (21 de fevereiro de 1836 - 16 de janeiro de 1891) foi um compositor francês  do século XIX que compôs várias obras musicais, entre elas, a ópera Lakmé, cuja ária  mais conhecida é o Dueto das Flores .

Biografia

Clément Philibert Léo Delibes nasceu em Saint-Germain-du-Val, agora parte da França. Seu pai era carteiro, sua mãe uma talentosa música amadora e seu avô um cantor de ópera. Foi criado principalmente por sua mãe e seu tio após a morte precoce de seu pai. Em 1871, com 35 anos de idade, o compositor casou-se com Léontine Estelle Denain. Delibes morreu 20 anos depois, em 1891, e foi enterrado no Cemitério de Montmartre, Paris.
 Obras

    * Ballets:

    La Source (1866)
    Coppélia (1870)
    Sylvia ou la Nymphe de Diane (1876)

    * Óperas:

    Le boeuf Apis (1865)
    La cour du roi Pétaud (1869)
    Le roi l’a dit (1873)
    Jean de Nivelle (1880)
    Lakmé (1883)
    Kassya (1893, op. póstuma)

    * Operetas:

    Deux le sous charbon
    La muchacha escocesa de Chatou
    L'Omelette à la Follembuche (1859)

    * Também compôs obras vocais, entre elas uma cantata e uma missa, e cultivou a canção.

 Discografía

    Les Trois Ballets - Coppelia, Sylvia & La Source com a Orquestra Filarmónica Nacional dirigida por Richard Bonynge.

 
    Coppélia, dirigida por Karajan e a Orquestra Filarmónica de Berlím para Deutsche Grammophon; e por Fricke, com a Orquestra Sinfónica da Radio de Berlím, para Capriccio.


    Lakmé, dirigida por J. Gressier, con M. Robin, Ch. Richard, P. Savignol, A. Disney, C. Maurante. Orquestra e coro de la Radio Lyrique de la RTF (1955). Rodolphe. Grabación histórica.


    Lakmé, dirigida por Richard Bonynge, com Joan Sutherland, A. Vanzo, G. Bacquier, J. Barbié, C. Calès. Orquestra e Coro Nacional da Ópera de Montecarlo (1967). Decca.


    Aria de las campanas gravado em álbuns e concertos de numerosas sopranos, entre elas gravações de Maria Callas num recital para CFP, e de Joan Sutherland para Decca.


    Le Roi s'amuse (comedia francesa). Suite de 6 danzas. Dirigida por Thomas Beecham com a Orquestra Filarmónica Real para EMI.


Valsa Coppelia



Coppélia é um ballet cómico-sentimental com coreografia original de Arthur Saint-Léon, com libretto de Saint-Léon e Charles Nuitter, e música de Léo Delibes. Baseia-se numa história macabra de E.T.A. Hoffmann intitulada "Der Sandmann" publicada em 1815. O ballet estreou a 25 de Maio de 1870 na Ópera de Paris, com Giuseppina Bozzachi no papel principal. Um primeiro momento de sucesso foi interrompido pela Guerra franco-prussiana e pelo cerco de Paris, tornando-se, posteriormente, o ballet mais representado na Opera Garnier.

Sinopse

As personagens principais são: o Doutor Coppelius, Swanilda e Franz. A acção decorre na aldeia de Cracóvia, na Polónia.
 

Ato I

Swanilda, a jovem mais bonita da aldeia, está noiva de Franz.

Certo dia ele fica encantado por uma moça que todas as tardes dedica-se à leitura na janela da casa do Doutor Coppelius, um velho que fabrica brinquedos e com uma reputação de bruxo. Ele faz de tudo para chamar a atenção dela: a chama para descer, convida-a para dançar, manda beijos, mas não obtém reação. Swanilda os flagra e promete vingar-se. Ela acaba por interrogar Franz sobre o acontecido, durante uma discussão.

Muda a cena. Na praça, os camponeses estão a dançar a mazurca enquanto Swanilda e Franz fazem um encontro forçado pelos amigos. Swanilda diz não ouvir o barulho de seu trigo, mas ele insiste que ouve, o que significaria a harmonização do amor entre o casal.

Os jovens e Franz decidem fazer uma brincadeira com doutor Coppelius, na qual sua chave fica caída no chão e Swanilda e suas amigas pegam-na e entram na casa do Doutor coppelius.
 

Ato II

Interior da casa do dr. Coppelius.

Swanilda descobre que Coppelia, a tal moça dedicada à leitura, na realidade é uma boneca. Nesse momento, o dr. Coppelius entra e flagra as moças, que fogem, mas Swanilda permanece escondida na varanda de Coppelia e resolve vestir sua roupa e fingir ser a boneca. Vários bonecos e bonecas dançam: escocesas, espanholas, arlequins etc.

Doutor Coppelius, intencionando insuflar vida a Coppelia e não percebendo ser Swanilda, começa a realizar mágicas. Pensa ter conseguido quando Swanilda dança, mas ao teimar com o velho e mexer nos bonecos, é mandada de volta para a varanda.

Franz invade a casa atrás de Coppelia e Swanilda e eles se encontram. Tanto Franz quanto doutor Coppelius descobrem a verdade.
 

Ato III

Na aldeia, celebra-se o casamento de Swanilda e Franz. Após a noiva jogar o buquê, o Dr. Coppelius aparece se queixando da destruição de seus bonecos. Os noivos lhe dão então o dote de Swanilda como indenização. Ele vai embora satisfeito. Os noivos e depois todos os convidados dançam, finalizando a peça..


Fonte : Wikipédia



Comentários

  1. Principe Encantado17 de janeiro de 2010 15:23

    Bravo, muito bom o video e o texto.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Saudações!
    Que Post Fantástico!
    Amigo Geraldo, parabenizo-o por nos brindar com o Mestre, Clément Philibert Léo Delibes...Uma escolha de alto nível...Uma obra que vale a pena conferir!
    Parabéns pelo Post!
    Abraços,
    LISON.

    ResponderExcluir
  3. Claudine Ribeiro G. Netto18 de janeiro de 2010 00:31

    Olá amigo Geraldo, esta peça é belíssima, quem a assiste nunca esquece.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Grande Geraldo, de visitar o seu blog, vou acabar me tornando um "entendido" (no bom sentido) de musicas clássicas .... RsRrsrsrs ...

    ResponderExcluir

Postar um comentário